Newsletter

Destaques › 24/11/2021

Para tempos difíceis

As profundas mudanças socioculturais que estão acontecendo em nossos dias e a crise religiosa que sacode as raízes do cristianismo no Ocidente nos devem urgir mais do que nunca a buscar em Jesus a luz e a força de que precisamos para ler e viver estes tempos de maneira lúcida e responsável.

Chamado ao realismo. Em nenhum momento Jesus augura aos seus seguidores um caminho fácil de êxito e glória. Pelo contrário, dá-lhes a entender que sua longa história será cheia de dificuldades e lutas. É contrário ao espírito de Jesus cultivar o triunfalismo ou alimentar a nostalgia de grandezas. Este caminho, que a nós parece estranhamente duro, é o mais condizente com uma Igreja fiel ao seu Senhor.

Não à ingenuidade. Em momentos de crise, desconcerto e confusão não é estranho ouvir mensagens e revelações propondo caminhos novos de salvação. Estas são as instruções de Jesus. Em primeiro lugar, “que ninguém vos engane”: não cair na ingenuidade de dar crédito a mensagens alheias ao Evangelho nem fora nem dentro da Igreja. Em segundo lugar, “não os sigais”: não seguir os que nos separam de Jesus Cristo, único fundamento e origem de nossa fé.

Concentrar-nos no essencial. Cada geração cristã tem seus próprios problemas, dificuldades e buscas. Não devemos perder a calma, mas assumir nossa responsabilidade. Não se nos pede nada que esteja acima de nossas forças. Contamos com a ajuda do próprio Jesus: “Eu vos darei palavras e sabedoria”. Inclusive num ambiente de rejeição ou desafeto podemos praticar o Evangelho e viver com sensatez cristã.

A hora do testemunho. Os tempos difíceis não devem ser tempos para as lamentações, a nostalgia ou o desânimo. Não é a hora da resignação, da passividade ou da omissão. A ideia de Jesus é outra: em tempos difíceis “tereis ocasião de dar testemunho”. É precisamente agora que precisamos reavivar entre nós o chamado a ser testemunhas humildes, mas convincentes, de Jesus, de sua mensagem e de seu projeto.

Paciência. É esta a exortação de Jesus para momentos árduos: “Por vossa perseverança salvareis vossas vidas”. O termo original pode ser traduzido indistintamente como “paciência” ou “perseverança’: Entre nós cristãos falamos pouco da paciência, mas precisamos dela mais do que nunca. É o momento de cultivar um estilo de vida cristã, paciente e tenaz, que nos ajude a responder a novos desafios sem perder a paz nem a lucidez.

José Antonio Pagola

Fonte: franciscanos.org
Imagem ilustrativa de Frei Fábio Melo Vasconcelos

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X