Newsletter

Notícias gerais › 27/04/2018

Eu sou a verdadeira videira…

Um dos sabores mais populares para sucos, balas, refrigerantes e picolés é o de uva. Talvez pela cor característica, que inegavelmente se destaca e chama a atenção. Ou ainda pela relativa facilidade em se imitar a cor e o aroma da fruta com corantes e outros produtos químicos. Também chamam atenção as uvas decorativas, fabricadas em plástico, borracha ou isopor, que dão forma a belos cachos, quase sempre mais vistosos do que os verdadeiros.

No Evangelho deste 5º Domingo do Tempo Pascal, Jesus recorre a este célebre fruto para mostrar a seus seguidores o critério fundamental que vai atestar a qualidade do discipulado, que é:

Estar ligado à videira, sob os cuidados do agricultor

A videira é Cristo. O agricultor, o Pai. O discípulo é o ramo que, por sua vez, só terá e transmitirá a vida se estiver conectado à videira. Desta forma, o discipulado só se faz autêntico e verdadeiro quando se deixa impregnar pela seiva do Evangelho que a Videira suga de seu relacionamento amoroso com o Pai e distribui generosamente através de seus discípulos. Esta conexão entre o ramo e a videira, absolutamente necessária, é cultivada a partir de uma disposição orante para ouvir a voz do Senhor nas mais diversas situações da vida, com discernimento, humildade e disposição para o trabalho em favor do Reino.

Discipulado verdadeiro não combina com vaidade, nem com comodismo, muito menos com ambição e desejo de poder. Se o discípulo embarca em uma destas armadilhas, seus frutos, à primeira vista, podem até ser vistosos, mas não são férteis e, mais dia menos dia, mostram-se prejudiciais. São os corantes da indústria, que, se ingeridos com frequência, ocasionam problemas de saúde. São as uvas cenográficas que, levadas à boca, causam, no mínimo decepção, podendo progredir para uma dor de barriga ou algo mais grave. Não têm gosto, não têm seiva, não têm semente, porque são obras puramente humanas, sem a seiva vital da Videira Verdadeira.

 

Frei Gustavo Medella, OFM 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.