Newsletter

Notícias gerais › 07/07/2020

O semeador

A reflexão de hoje tem um viés campesino, por falar do campo, da semente e do semeador, no Evangelho e Isaías nos fala da chuva e da neve e do pão fruto da terra. Podemos nos perguntar quem somos diante da parábola do semeador? Seríamos a terra que acolhe a semente, ou a própria semente, ou o semeador que lança a semente?

A semente é lançada pelo semeador e parte desta semente cai em terra boa e preparada para recebê-la, parte pode cair entre os espinhos, ou entre as pedras, ou até à beira do caminho. Pode vir a chuva e a neve, o vento e o sol, o inverno e o verão. Possibilidades muitas existem e o bom semeador as conhece. Conhece o tempo e o momento de lançar a semente. Assim como conhece a boa semente e a terra boa. Mas ele precisa ser um bom semeador.

Diante da parábola do semeador poderíamos perguntar: somos os semeadores? Ou somos a semente lançada pelo semeador? Ou seríamos a terra pedregosa ou boa que recebe a semente? Poderíamos ser semeadores, poderíamos ser a semente ou mesmo a terra que acolhe a semente. Os três são importantes para que haja alimento pela força da terra que acolhe a semente, o semeador que fará o trabalho de lançar a semente na terra sem guardá-la no celeiro para consumi-la e a terra que acolhe a semente e a germina.

Nesta parábola cada elemento é importante: o semeador, a semente e a terra. Somos os três elementos nas mãos do Criador. Ser boa semente, ser a terra boa e ser sábio semeador. Porque se faltar um dos elementos que Deus criou, não teremos o “pão nosso de cada dia” que nos alimenta na fé e no amor.

As parábolas nos lábios de Jesus são comparações ou imagens destinadas  a ilustrar uma ideia ou ensinamentona busca do Reino. As parábolas não são alegorias, pelo menos tomadas no seu conjunto, pois uma alegoria é uma série de metáforas ou imagens, em que cada detalhe tem um significado figurativo por si mesmo. Pelo contrário a parábola há que atender ao conjunto, da qual se depreende uma conclusão única em forma de um ensinamento programático: a busca do Reino de Deus.

As parábolas contêm “os segredos do Reino de Deus”, que não é deste mundo. Os discípulos muitas vezes perguntaram a Jesus: “por que nos fala em parábolas?” Jesus respondia-lhes: “a vós é dado conhecer dos mistérios dos Céus”. Significa conhecer o Caminho, a Verdade e a Vida que é o próprio Cristo. Em Cristo se encontra o Bom Semeador, a Boa Semente e a Terra Prometida.

Frei Sergio Pagan, 12.07.2020

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.