Newsletter

Destaques, Notícias gerais › 12/10/2015

Louvado Seja: O Evangelho da Criação

cachoeira_010915

 

O segundo capítulo da encíclica “Louvado Seja” tem o título “O Evangelho da Criação”. No capítulo anterior, como vimos, o Papa Francisco fez um diagnóstico da situação em que se encontra a nossa casa comum, o Planeta Terra, e constatou como ela tem sido maltratada. A responsabilidade é de todos e, por isso, a Encíclica é dirigida não apenas aos cristãos católicos, mas a todos os homens e mulheres de boa vontade.

Agora o Papa vai explicar por que razão uma carta dirigida a todos tem um capítulo especificamente sobre o Evangelho da Criação. Para Francisco, a Bíblia, particularmente o livro do Gênesis, contém “na sua linguagem simbólica e narrativa, ensinamentos profundos sobre a existência humana e a sua realidade histórica”. Esses ensinamentos apontam que a existência humana está fundada sobre três relações fundamentais: as relações com Deus, com o próximo e com a terra. Em um dado momento estas três relações vitais romperam-se não só exteriormente, mas também dentro de nós. Esta ruptura é o pecado.

Quando descuidamos no compromisso de cultivar e manter um correto relacionamento com o próximo, estamos prejudicando o nosso relacionamento conosco mesmo, com os outros, com Deus e com a terra. A consequência, como nos lembra Francisco, é que “quando todas estas relações são negligenciadas, quando a justiça deixa de habitar na terra, a Bíblia nos diz que toda a vida está em perigo”. Foi essa a experiência vivida por Noé com o dilúvio.

Em sentido contrário, a harmonia vivida por São Francisco de Assis, com todas as criaturas, foi interpretada por São Boaventura como uma cura dessa ruptura. É como se São Francisco, através da reconciliação universal com todas as criaturas, tivesse voltado de alguma forma ao estado de inocência original. Também, nessa perspectiva, São Francisco se aproximou do Senhor Jesus, o qual vivia em plena harmonia com a criação, despertando admiração nos outros: “Quem é este que até os ventos e o mar lhe obedecem?” (Mt 8,27).

Sintetizando o capítulo, poderíamos dizer que fé oferece luz para compreensão do mistério do universo. A sabedoria das narrações bíblicas expressa a mensagem e o papel de cada criatura na harmonia de toda a Criação, em busca da comunhão universal, até o fim dos tempos, quando o Filho entregar ao Pai todas as coisas “para que Deus seja tudo em todos” (1Cor 15,28).

 

Colaboração de Emmanuel Paiva de Andrade
Pastoral da Comunicação

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.