Newsletter

Notícias gerais › 05/02/2018

“Jovens, sejam protagonistas no coração da Igreja!”

 

Em viagem apostólica ao Chile, o Papa Francisco realizou um encontro com jovens no dia 17.01.2018, no Santuário de Maipu, em Santiago. O Papa ressaltou que a Igreja precisa dos jovens e pediu a ajuda deles para que a Igreja siga em frente sabendo reconhecer a plenitude de ter um rosto jovem.

Em seu discurso, o Papa citou o caso de um jovem que ao ser perguntado sobre o que o aborrecia, disse-lhe: “deixar meu celular sem bateria, descarregado, pois não poderia estar em contato com o mundo”. O Papa disse que aprendeu uma importante lição com aquele caso: o mesmo poderia acontecer em relação à fé. “Sem conexão, sem a conexão com Jesus, acabamos por ficar desconectados do mundo”. Jesus é a verdadeira fonte de vida e de alegria, pois mesmo em meio ao deserto, à desesperança, à incerteza, sempre existirá um “carregador de baterias”, e assim não nos sentiremos sozinhos, disse o Pontífice.

Pediu, então, uma reflexão aos jovens: o que cada um pode oferecer à sua pátria e ao mundo? Ele disse que muitos iriam responder de imediato: “não sei”. Então, o Pontífice apontou a regra de ouro de Santo Alberto Hurtado, jesuíta chileno: “O que faria Cristo se estivesse no meu lugar?”. Em todos os momentos, em todos os lugares, onde quer que estejamos, devemos nos perguntar: “O que faria Jesus no meu lugar”? Ser protagonista, disse o Papa, é fazer o que Jesus fez.

Em seu discurso final, Papa Francisco pediu aos jovens: “Sede vós os jovens samaritanos que nunca abandonam um homem caído no caminho. Sede vós os jovens cireneus que ajudam Cristo a levar a sua Cruz e compartilham o sofrimento dos irmãos. Sede como Zaqueu, que transforma o seu coração materialista num coração solidário. Sede como a jovem Madalena, buscando apaixonadamente o amor, que só em Jesus encontra as respostas de que necessita. Tende o coração de Pedro, para deixar as redes nas margens do lago. Tende o carinho de João, para repor n’Ele todos os vossos afetos. Tende a disponibilidade de Maria para cantar com alegria (ao Senhor) e fazer a sua vontade”.

Ana Mazzeto, JJP

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.