Newsletter

Notícias gerais › 23/01/2021

É hora de nos fazermos amor

Ternura e compaixão eternas. Misericórdia e bondade sem limites. Os atributos de Deus apresentados no Salmo 24, ao mesmo tempo que animam e consolam, também constrangem. Coloca-nos como destinatários de algo que recebemos por graça e não conquistamos por mérito. Acreditar firmemente nesta verdade faz perder o sentido de grande parte de nosso orgulho, de nossa prepotência e de nosso espírito de competição. Todos somos, da parte de Deus, igualmente amados e abençoados.

Apesar de ser maravilhosa, tal constatação, se buscamos ser de fato consequentes em relação ao que cremos, nos leva a uma consciência salvífica que não nos deixa ficar parados. O amor que o Senhor revela por nós e por todos, passamos a desejar que de fato alcance a todos. Foi este o convite que seduziu os primeiros Apóstolos a quem Jesus convidou enquanto realizavam suas atividades cotidianas. Ao ouvirem a voz do Mestre, Simão, André, Tiago e João foram capazes de escutar, num só convite a declaração do Amor de Deus por eles e a convocação para serem portadores deste mesmo Amor.

Num mundo marcado por fortes experiências de dor e de desamor, sentir-se amado por Deus é privilégio e também compromisso. Se, em Cristo, o Amor se fez um de nós, agora é hora de nos fazermos amor uns para os outros, de acordo com as urgências e circunstâncias, quando este amor encarnado pode se tornar um prato de comida, uma sacola de mantimentos, um gesto de gentileza, um minuto de atenção, uma dose de vacina…

Frei Gustavo Medella

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.