Newsletter

Notícias gerais › 28/03/2020

Cristo é fonte de vida

“Eu sou o Senhor, digo e faço: quem crê terá a vida eterna” (Ez 37,14). Todo aquele que crê, não morrerá jamais. “Vou abrir vossos túmulos e vos farei ressuscitar”, diz o Senhor, através do Profeta Ezequiel. A vida eterna é para aquele que crê, na vida para além da morte. A vida não nos é tirada, mas nos é dada gratuitamente. Quem permanece em mim, jamais morrerá, diz o Senhor. “Eu sou a ressurreição e a vida”: são palavras de Jesus à Maria, diante da morte de seu irmão Lázaro.

Jesus ao ser chamado por Marta, irmã de Maria, por causa da morte de Lázaro, numa atitude de compaixão diante do sofrimento, Jesus pede às irmãs que tenham fé: “eu não te disse que se acreditasses, verias a glória de Deus?” Jesus antes de chamar Lázaro para fora do túmulo, invoca a presença do Pai: “Pai eu bem sei que sempre me ouves, por isso te agradeço”. Após a oração invocando o  Pai, Jesus ordena: “Lázaro sai para fora” (Jo 11,40).

O milagre acontece pela força da fé, daquele que crê. Mas o crer, o acreditar é mais do que um desejo, é uma atitude, é ir ao encontro, à semelhança de  Maria que caiu aos pés do Senhor e proclamou: “eu creio Senhor que Tu és o Cristo, a ressurreição e a vida”. Sempre haverá vida no coração daquele que crê por  palavras e atitudes. Não bastam as intenções e desejos. Devemos ir ao encontro daqueles necessitados de vida: “Eu vim para que todos tenham vida”, diz o Senhor.

Pelo Sacramento do Batismo, somos herdeiros da vida eterna. A vinda de Jesus, não foi em vão, mas Ele nos resgatou e nos concedeu uma nova vida: a vida para além da morte. Pela morte não perdemos a vida, mas ganhamos a vida definitiva. Retornamos à nossa origem: Deus. A decisão é pessoal: crer, acreditar e agir como filho de Deus.

Aquele que acredita em Cristo, será salvo, libertado do pecado e de sua consequência, a morte. Essa libertação não é da morte biológica, pois também Jesus morreu, mas da escravidão, do medo, do apego ao mundo. A única certeza definitiva é a morte, da qual ninguém poderá escapar. Felizes são aqueles que estiverem na Graça de Deus, porque a morte biológica não lhes fará mal.

A nossa oração diária deve ser: eu creio Senhor, mas aumentai a minha fé. Uma fé viva quaresmal: pela oração, jejum e penitência que são os fundamentos da conversão pessoal. Que o meu olhar e o meu viver seja para além do transitório na busca da vida definitiva e eterna. Amém.

Frei Sergio Pagan, 29.03.2020

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.