Newsletter

Destaques, Notícias gerais › 16/06/2018

Cresce o número de católicos no mundo, na África o maior aumento

Cidade do Vaticano – Os fiéis católicos no mundo continuam a aumentar de ano em ano, embora com mais lentidão do que no passado. A África é o continente com o maior crescimento de batizados de 2010 a 2016, enquanto que a Europa registra uma diminuição de fiéis. Estas são as informações apresentadas pelo Anuário Pontifício 2018 e pelo Annuarium Statisticum Ecclesiae 2016, redigidos pelo Departamento Central de Estatísticas da Igreja. Segundo informações do documento, diminui sensivelmente o número de padres, religiosos e seminaristas.

 

Mais fiéis católicos

Os católicos batizados, segundo o Annuarium Statisticum, de 2015 a 2016 passaram de 1 bilhão e 285 milhões a 1 bilhão e 299 milhões, com um aumento total de 1,1%. No mesmo período, a população mundial aumentou pouco mais do que o número de católicos, por isso em 2016, a Igreja contava com 17,67 por cento de fiéis em relação à população mundial, enquanto que em 2015 eram 17,73.

 

A África o continente mais dinâmico, a Europa perde fiéis

A África conta com 17,6% dos católicos de todo o mundo e se caracteriza pelo maior incremento entre os anos 2010-2016. Os fiéis, de fato, passaram de pouco mais de 185 milhões a mais de 228 milhões, ou seja com aumento de mais de 23%. O país com o maior número de batizados é a República Democrática do Congo com mais de 44 milhões, seguido pela Nigéria com 28 milhões de católicos. Enquanto que no Velho Continente, constata-se uma diminuição de 0,2%, mesmo contando com quase 22% da população católica mundial.

 

A maior parte dos católicos nas Américas

Quase a metade dos fiéis, reside nas Américas (48,6%), mesmo se a grande maioria pertence à América do Sul (57,5%, sendo que 27,5% só no Brasil que se confirma como o país com o maior número de católicos no mundo) e 14,1% América do Norte e 28,2% na América Central.

A Ásia, onde historicamente os católicos são uma minoria, com exceção das Filipinas, os católicos são 11% da população. Enquanto que o restante 0,8% – ou seja pouco mais de 10 milhões de católicos – vivem na Oceania.

Os países que podem ser considerados “os mais católicos” são quinze, e somam mais de 64% de batizados, isto é, 830 milhões de pessoas. Quatro são africanos (República Democrática do Congo, Nigéria, Uganda e Angola), outros quatro encontram-se no continente americano (Brasil, México, Estados Unidos e Colômbia), dois na Ásia (Filipinas e Índia) e cinco da Europa (Itália, França, Espanha, Polônia e Alemanha).

 

Mais bispos e diáconos, mas continua a crise vocacional

No período entre 2010 e 2016, o dado positivo é o aumento do número de bispos de quase 5% (em 2016 eram 5.353), além disso no último ano foram instituídas seis novas sedes episcopais, quatro eparquias, uma nova sede metropolitana e três vicariatos apostólicos foram elevados a dioceses.

As áreas geográficas com o aumento mais consistente no número de bispos presentes são a América Central, do Sul e a Ásia. O número de sacerdotes no mundo católico é de 414.969: 67,9% são do clero diocesano enquanto que o restante 32,1% religioso. Uma estatística que retoma quase fielmente a de 2015, enquanto que o grupo que registrou o maior aumento foi o dos diáconos permanentes, que cresceu com uma média anual de quase 3%.

Número em diminuição, ao invés, para seminaristas e religiosas professas, que confirmam a queda geral de vocações dos últimos anos. De fato, em seis anos, o número dos que entram no seminário diminuiu 1,8%, enquanto que as religiosas professas diminuíram 8,7%.

 

Fonte: site Vatican News

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.